Seguir

sexta-feira, 21 de junho de 2013

A história do meu filho

Lembro do nosso primeiro encontro, foi em um sonho e  eu não pude ver o seu rosto, o mais incrível é que você não era uma criança, mas um homem adulto, nesse mesmo dia, horas mais tarde eu descobri que estava grávida. Lembro que essa gestação foi totalmente diferente das outras que eu já tinha ouvido falar, pois eu não senti enjoos  náuseas, dores, eu não sentia nada além do enorme amor por você. Eu estava incrivelmente bem, a minha saúde havia melhorado em todos os aspectos, até o meu humor estava melhor.
Tudo estava indo bem, até que em uma tarde eu comecei a sangrar, e a partir desse momento o sangramento não parou mais, e eu senti lá no fundo, que você estava indo embora, que eu  estava te perdendo. A partir desse dia foi feita uma série de exames, consultas, idas ao hospital e acompanhamento com 03 médicos diferentes.
Apesar de aparentemente as coisas estarem se estabilizando, o meu coração sabia que não era bem assim, mas o seu pai tinha tanta fé, orou e pediu tanto a Deus que eu me senti pequena diante desse amor tão grande ele sentia por você, e nesse momento eu senti que vocês dois estavam ligados, não apenas pelo laço parental, de pai e filho, mas também por um amor muito maior , o amor do espírito.
Infelizmente, na madrugada de domingo eu sonhei que estava em um hospital, e as paredes, as portas e o piso era totalmente branco, e ali eu sabia que iria me despedir de você. Quando acordei e fui ao banheiro percebi que havia algo estranho, mas resolvi voltar para a cama e ficar quietinha, infelizmente na segunda feira o medo tornou-se real, eu havia perdido você.

Nessa mesma noite fiquei internada no hospital, e às 02 horas da madrugada de terça feira, fui sedada para fazer a curetagem, nesse período sonhei com você novamente, mas dessa vez eu via o seu rosto, você olhou para mim e agradeceu, pediu que eu não ficasse triste, que você havia feito um pedido para mim e que eu havia aceitado, que o seu pedido havia sido ficar apenas por um curto espaço de tempo nesse plano, e com isso estaria livre e poderia seguir a diante e evoluir, lembro que você voltou a me agradecer e me abraçou, momentos depois quando acordei da anestesia, a única coisa que eu falava era que havia perdido você e que nunca mais iria tê-lo ao meu lado. Nessa hora eu senti a sua presença, foi como se eu pudesse abraçá-lo.
 E hoje quero dizer que mesmo que na minha visão, nos meus pensamentos e nos meus sonhos você apareça como um homem adulto, para mim você será sempre o meu bebê, e  para sempre será o meu filhinho.



  

Você partiu sem mim.

Voa minha ave
Voa sem parar
Viaja pra longe
Te encontrarei
Em algum lugar...
Permaneço em ti
Como sempre foi
Mais perfeito e mais fiel
Mesmo sozinho sei
Que estás perto de mim
Quando triste olho pro céu...
Quando eu te vi
O sonho aconteceu
Quando eu te vi
Meu mundo amanheceu...
Mas você partiu sem mim
E sei que estás
Em algum jardim
Entre as flores...
Anjo!
Meu tão amado anjo
Bem sei que estás
E eu do brando sono
Hei de acordar
Para os teus olhos
Ver uma vez mais...
Mais
O verdadeiro amor espera
Uma vez mais
Quando eu te vi
O sonho aconteceu
Quando eu te vi
Meu mundo amanheceu..
Mas você partiu sem mim
E sei que estás
Em algum jardim
Entre as flores...
Ivo Pessoa

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Angústia

Boa tarde meninas, hoje estou aqui para desabafar, desabafar toda essa raiva, essa angústia , essa solidão.
Parece até que tem um nó enorme entalado na minha garganta, e eu estou sufocando lentamente, não consigo explicar, não consigo definir, só sei que é horrível.
Tem horas que o meu sofrimento parece ter sido amenizado, porém tem outras horas que ele me sufoca, e o meu único desejo é sumir, é ir embora e nunca mais voltar.
Existe algo que me magoa muito também, que é a incompreensão de certas pessoas, principalmente algumas que são  próximas, as vezes que estão até mesmo dentro da própria estrutura familiar.
Certos comentários que chegam a ser cruéis e desnecessários, e isso acaba me deixando mais fragilizada, mais abalada e mais triste.
Peço a Deus que me dê forças para continuar, que me dê sabedoria para encarar a verdade do mundo, e principalmente que me dê muito amor, pois estou realmente precisando nesse momento.

Quero agradecer o apoio de vocês, obrigada minhas amigas, como diz o ditado : " a amizade é virtual, mas o amor é real".
Obrigada por tudo, o meu coração manda um abraço para cada uma de vocês.


Quando mamãe ama

Nunca imaginei poder amar assim
Querer alguém tão bem mais do que quero a mim
Meu filho você tem o amor da mamãe pra sempre
Cuidar de você é minha alegria
Sentir o teu cheiro, te tocar
Pegar sua mão e caminhar na vida
Ouvir sua voz me chamar
Pode precisar de mim, meu filho te amo
Não importa a hora nem o lugar
Quero estar ali pra te ajudar
Um sorriso, um olhar
Faz valer a pena
Nenhum sacrifício é tão grande
Quando mamãe ama
Eu sei que nem sempre vou conseguir
As vezes preciso te deixar ir
Mas mesmo de longe vou te acompanhar
E quando quiser, é só me chamar

Quando mamãe ama

Ana Paula Valadão


quarta-feira, 19 de junho de 2013

Neste dia eu morri!
Se em algum dia você não ouvir mais minha voz pronunciando o nome de meu filho,tragam-me flores porque neste dia eu morri...Se algum dia você não ver minhas lágrimas caindo no chão, acendam velas porque neste dia eu morri...Se em algum dia você não ver minhas mãos juntas ORANDO por meu filho , faça uma oração por mim porque neste dia eu morri...Se algum dia você pensar que não sofro mais, chore por mim porque neste dia eu morri...Mas se algum dia você  imaginar que estou em uma felicidade completa , sorria pois neste dia estarei junto de meu filho. By: Sonhos adiados


A triste dor da perda.

Bom dia meninas, demorei muito para postar, por vários motivos, entre eles estavam a tristeza, solidão e principalmente luta..
Ontem, dia 18/06/2013, por volta das 02 horas da madrugada, depois de um forte sangramento, perdemos o nosso bebê, perdemos o nosso tão amado e querido bebê.
As últimas semanas com o nosso filho foram magicas e únicas, apesar das dificuldades, pois tive um corrimento e precisei ficar de repouso absoluto por 02 semanas, infelizmente os remédios, os médicos e o repouso não foram suficientes para que o nosso bebezinho permanecesse conosco.
Não preciso falar da dor da perda, da tristeza, da revolta inicial e finalmente da tentativa quase forçada de aceitação.
Como diz o meu esposo, não importa se o nosso bebê tinha meses, anos ou séculos, a dor da perda de um filho é enorme, é algo que não tem nome, que não tem explicação.